Clínica São Lucas - Você sabe quais são os sintomas e causas da Osteoporose?

Você sabe quais são os sintomas e causas da Osteoporose?

A osteoporose é uma doença metabólica, desenvolvida por fator genético, hábitos, entre outros fatores. Atingindo principalmente mulheres após a menopausa, a osteoporose é uma doença silenciosa, que no estágio avançado, pode causar fraturas, principalmente no punho, espinha, bacia e vertebras. A estrutura óssea renova-se constantemente até certo período da vida, sendo que nas mulheres, a reconstrução óssea torna-se menos falha por volta dos 45 anos e nos homens, que são menos acometidos, por volta de 65 anos. Sintomas primários como dores contínuas nas articulações são sinais de osteopenia, uma condição de desgaste ósseo, que pode acarretar na osteoporose. Ao menor risco, um médico ortopedista deve ser procurado e um exame de densitometria óssea solicitado, para que o diagnóstico possa ser dado com rapidez e a osteoporose não evolua.

Orientações

Como uma doença silenciosa, a osteoporose apresenta a maioria dos sintomas já em estágio intermediário/avançado. As causas da osteoporose são relativas, mas o que se sabe com exatidão, é que maus hábitos recorrentes são fatores decisivos para o desenvolvimento da doença. Se o individuo tiver alguma predisposição genética a contrair osteoporose, deve dar uma atenção especial à sua alimentação, consumindo alimentos ricos em cálcio, como queijos, leites, iogurte e outros derivados. A prática
de exercícios que trabalhem mais intensivamente os músculos deve ser regular, ocasionando também o desenvolvimento da massa muscular e, consequentemente, reduzindo os riscos de osteoporose. 

Sintomas

Os sintomas variam de acordo com o organismo e com o estágio da doença. Os sintomas primários são apenas dores nas articulações, evoluindo mais tarde para quedas frequentes, aparecimento de corcundas e diminuição da estatura e no estágio mais avançado, as fraturas. Nesta condição, qualquer fratura apresenta bastante risco ao doente, uma vez que a regeneração do tecido será bem mais dificultosa. Mas, o tipo mais perigoso de fratura, a do colo do fêmur, pode até levar a morte. 

Atividade Física e a Osteoporose

Como medida preventiva, praticar atividades físicas de maior esforço como a corrida, o futebol, artes marciais, entre outros esportes coletivos, é essencial. A massa muscular trabalhada realiza uma pressão sobre a estrutura óssea, que é estimulada e fortificada na mesma proporção. Com a doença já diagnosticada, a prática de exercícios não deve ser pausada. Exercícios de menos esforço como a hidroginástica e a caminhada devem ser realizados com frequência, com o objetivo de estabilizar a doença e impedir que progrida.

Quais são as causas da osteoporose?

As causas da osteoporose incluem vários fatores. Dentre eles, os principais são:

  • Fatores étnicos e genéticos:
    A incidência em pessoas de pele muito branca, baixa estatura e com pouca massa corporal é maior. Mulheres asiáticas, por serem menores de natureza são ainda mais propensas a desenvolver a doença e, por este motivo, devem intensificar os cuidados com o corpo.
     
  • Tabagismo:
    O tabagismo é prejudicial de muitas maneiras, mas em se tratando de osteoporose, é um agente direto. Fumar pode acelerar o processo de agravamento  da osteoporose, provocando uma absorção deficiente de cálcio. Além disso, a ação da nicotina no organismo diminui drasticamente a produção de osteoblastos, célula responsável pela renovação dos ossos. 
     
  • Deficiência de Vitamina D:
    Quando se fala sobre as causas da osteoporose, a deficiência em Vitamina D é um dos primeiros fatores que vem à cabeça.  A carência de Vitamina D pode se dar por vários motivos, como por exemplo, pela não exposição ao sol e o não consumo de alimentos que contenham esta vitamina. Se houverem casos na família, é muito importante ficar atento aos sinais, ter hábitos saudáveis e ao primeiro sintoma, realizar imediatamente um exame de densitometria óssea.
     
  • Não exposição ao sol:
    Não tomar sol regularmente pode causar uma deficiência em Vitamina D. Se possível, é recomendável expor-se ao sol cerca de 5 min ao dia, em horários em que o sol não esteja tão forte, como o começo da manhã e o final da tarde.
     
  • Consumo excessivo de álcool:
    Consumir álcool tem uma série de malefícios, mas em se tratando da osteoporose, em longo prazo, pode ser um fator desencadeante. 
     
  • Sedentarismo:
    Se combinado com as condições genéticas e étnicas, o sedentarismo também é um forte fator desencadeante da osteoporose. O esforço muscular é essencial para o fortalecimento dos ossos, pois ao trabalhar os músculos, a massa óssea é estimulada a crescer também. 
     
  • Produção falha de hormônios:
    A produção deficiente do estrógeno, hormônio feminino, juntamente com as condições étnicas e genéticas pode ser um fator de estímulo à osteoporose. Nos homens, a baixa produção de testosterona também pode causar a doença. As mulheres que forem diagnosticadas no estágio primário da doença podem fazer o tratamento hormonal e desta maneira, retardar o avanço da osteoporose.
Como se desenvolve a osteoporose 

Com o envelhecimento, a regeneração da estrutura óssea torna-se irregular. O osso, que antes era renovado constantemente, tem uma redução significativa da produção de células novas. O processo é normal com o chegar da idade e funciona da seguinte maneira: Os osteoclastos, células que enfraquecem o osso, ficam mais ativos do que os osteoblastos,

as células responsáveis pela reconstrução do tecido ósseo. A condição é agravada pela baixa de estrógeno no corpo e, por isso, atinge mais as mulheres, que tem uma redução drástica de produção do hormônio com a chegada da menopausa. Nos ossos saudáveis, os espaços são preenchidos constantemente por medula, porém, no tecido ósseo com osteoporose, as fissuras causadas pelo desgaste não se regeneram e ficam cada vez quebradiças. Pode-se concluir que a osteoporose acontece por uma série de fatores,
que se manifestam com o envelhecimento. 

Nos homens, há menor incidência da doença pelo fato de possuírem uma estrutura óssea mais reforçada, mas mesmo assim, se adquirirem a doença, as consequências poderão ser bem mais agressivas, afetando mais áreas e mais intensamente. Pode-se concluir que a ocorrência da osteoporose se dá por uma serie de fatores que se manifestam com o envelhecimento.

Osteoporose Primária Osteoporose Pós-Menopausa

Esta variação da doença está ligada à deficiência de estrógeno, portanto acomete as mulheres com maior frequência. É possível que os principais sintomas da doença se deem de 3 a 5 anos antes da menopausa e, sua consolidação e diagnóstico, entre os 50 e 60 anos. Os efeitos podem ser mais aparentes na região da coluna do que nos demais ossos, ocasionando o surgimento de uma corcunda. 

Osteoporose Senil

A osteoporose senil é uma variação mais agravada da doença, atingindo principalmente homens e mulheres acima de 70 anos, em todos os tipos de ossos. Neste estágio da doença, as fraturas na coluna, ossos estendidos, quadril, costelas, punho e pelve são bem comuns, uma vez que a doença já está se desenvolvendo no corpo do indivíduo há alguns anos.

Osteoporose Secundária

A causa da osteoporose em fase secundária é um conjunto de fatores primários - genética, etnia, menopausa - agravados geralmente, por doenças do sistema endócrino, diabetes, tireóide, doenças crônicas intestinais, sedentarismo, entre outros fatores. 

O homem também deve estar atento

De fato, o índice de incidência da osteoporose nos homens é bem menor do que nos homens, porém, apesar disso, indivíduos do sexo masculino também podem desenvolver a doença e de uma maneira mais agressiva. O homem que tem predisposição genética e hábitos de vida não saudáveis, pode adquirir a osteoporose tipo senil, que se manifesta mais tarde e, por isso, com muito mais força. É importante, antes de qualquer coisa, ter uma vida saudável, mas ao sentir os primeiros sinais da doença, procurar o mais rápido possível um médico.

Diagnóstico 

Ao atingir certo estágio, a doença é irreversível. Por isso, quando sintomas como dores constantes nas articulações aparecerem, um médico deve ser procurado para que um exame de densitometria óssea seja feito. No exame, três tipos de diagnóstico podem ser dados: normal, osteopenia e osteoporose. A osteopenia, por exemplo, é uma condição difícil de reverter, mas que pode ser retardada para não evoluir para uma osteoporose. 

Tratamento

As causas da osteoporose podem ser várias. Por isso, antes de iniciar o tratamento deve-se determinar com precisão a origem da doença. A osteoporose pode ser tratada, dependendo do caso, com hormônios sexuais, calcitonina de salmão, estrogênio, ou com outros tipos de tratamentos alternativos. Na fase de tratamento da osteoporose, exercícios intensivos e de grande impacto devem ser evitados, pois com a porosidade do osso, existe grande risco de fratura. Exercícios como a caminhada e até mesmo as atividades domésticas podem fazer grande diferença na desaceleração da doença. 

 

De fato, a osteoporose é uma doença grave, mas tratar-se corretamente e adquirir bons hábitos pode proporcionar uma vida prolongada e estabilizada. Cuidar da saúde deve ser primeira prioridade, portanto, uma boa alimentação e exercícios físicos regulares são de incontável importância. Dúvidas sobre a doença? Entre em contato conosco!